terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Últimos dias.


Vou confessar: tem sido bem mais difícil do que eu imaginava vencer esses últimos dias.

Por mais que a gente saiba em que pé estão as coisas, juro, não estava preparada. E ainda não estou.

Lições como essas que você está me ensinando são difíceis de assimilar. Principalmente porque envolvem a perda. E, convenhamos, ninguém gosta de perder. E mesmo que fosse uma perda eventual já seria triste.

Agora, imaginar que não terei mais sua voz, seu olhar, seu silêncio é demais para mim. Imaginar que não te verei mais na pracinha, com o cachorro na coleira, ou na loja "das meninas" comprando novidades, dá medo e abre um abismo dentro de mim.

Não sei aonde vou te achar.

O certo é que vou te cultivar em minhas lembranças como a mais valiosa das lições.

Penso que você tinha mesmo que ter entrado em minha vida. Penso que não o fez antes porque não era a hora. E não estava "madura" para entender as coisas.

Há um sentido claro: tenho um péssimo relacionamento com minha mãe que, ao meu ver, me parece a Esfinge.

Você é falante, aponta erros e enaltece virtudes. É mãe. Tem senso de humor, tem amor, tem sua individualidade na medida. Vive sua vida sem querer incomodar os outros. E agora que precisa da ajuda alheia, se sente incomodada. Roga para que o sofrimento cesse e que ninguém mais precise intervir.

Hoje você pediu para ir embora. E eu chorei porque sei que foi sincero.

Só você sabe da sua dor, afinal, são anos sambando descalça no fio da navalha. Passando pela vida na ponta dos pés, para não acordar a dor alheia, que dorme um sono leve.

Esses últimos dias têm sido tristes. Porquei sei que a hora da partida está perto. E juro, a partir disso, vou te buscar em cada botão daquela sua orquídea preferida. Só pra te ver renascer a cada primavera.


4 comentários:

Gustavo Jaime disse...

Olá! Conheço a música e agora conheci o blogue (pelo Eu Comigo Mesmo, do Rafael Cury). O conteúdo é excelente. Adorei o texto sobre a mulher que tascou um beijo no cara que ela era apaixonada. E gostei demais das tirinhas do Calvin & Harold também!

Beijos e cuide-se!

Luciana Santos Silva disse...

Querida amiga, emocionante.
Que a partida seja suave
e que a dor seja amenizada
que ela seja acolhida pelos braços do Bom Mestre

Moni disse...

tem coisas que acontecem na vida da gente que simplesmente nao sabemos explicar, só mesmo o tempo para nos fazer entender!! beijos e obrigada pela visita!!

Cristiana Periscinotto disse...

Você escreve maravilhosamente bem! Envolve um sentimento muito forte que é capaz de tocar a alma.
Adorei seu blog, valeu essa visita e as que estão por vir.