sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

O presente.


Não canso de bradar o quanto 2008 foi bom para mim.

Ano difícil, cheio de curvas, obstáculos, reviravoltas.

2008 foi um ano cheio de presentes também. Mais do que bolsas, calçados, carro, casa, me dei de presente uma viagem sem volta. Entrei pelo caminho do auto-conhecimento, claro, com auxílio profissional.

Mas só fiz isso porque achei que era o momento, porque era necessário. Fiquei meses com o telefone da psicóloga anotado na minha agenda.

É preciso ter coragem para se descobrir, para se enxergar nua, dissecada, com tudo o que você carrega há anos: vícios, qualidades, ransos, manias.

Mas para que isso surta efeito, também é preciso se amar muito - mesmo que a auto-estima esteja no calcanhar.

Porque só se descobre quem se ama. Mesmo que o amor esteja por fiozinho, já vale a pena.

Porque daí a gente vai buscar aquilo que não conhecia ou não sabia que tinha guardado, armazenado em algum espacinho. Porque a gente aprende com os próprios erros.

E daí o mundo se abre e gente nova chega, oportunidades bacanas aparecem, a vida parece menos enfadonha, menos pesada.

Durante esse caminho sem volta, iniciado há seis meses, ganhei vários presentes: auto-estima renovada (ok.. falta eliminar uns quilinhos ainda pra ficar nota 10), fiz as pazes com meu pai, meu irmão está cada dia mais próximo de mim, minha relação com meu filho vai de vento em popa e até mesmo a "Esfinge" andou baixando a guarda. Quando a gente muda, a vida toda se renova a nossa volta.

Nesse tempo todo aprendi lições preciosas, doloridas, engraçadas. Conheci gente banaca, diferente, gente com "dores" maiores que as minhas, mas que não deixa de sorrir sempre. Gente que veio por meio desse blog e ficou de vez na minha vida. Gente que eu já conhecia, mas me pareceu muito melhor depois desse blog.

Agradeço a cada um por ter me ajudado a melhorar um pouquinho, todos os dias.

Agradeço as poesias, os contos, as músicas, as histórias que li durante esse ano. Tudo isso teve um profundo sentido para mim (mesmo não tendo sido produzidas para mim). Porque me tocaram e, de certa forma, me incentivaram a tomar rumos desconhecidos.

Cada linha da Carla, com suas irremediáveis cutucadas, a doçura da poesia da Luciana, as músicas e textos do Rafa - tudo tão lindo, tão sublime, tão sincero e delicado - me fez ver um mundo real, do qual pertencia desde sempre. Mas eu andava tão cabisbaixa que era impossível ver todas essas lindezas.

Em 2008 ganhei muitos presentes, mas o melhor de todos foi ter escolhido a mim para ser feliz.

3 comentários:

CARLA ROCHA disse...

Linda, a vida estava aí, esperando seu amor!!! Fico feliz de ter você em meu caminho!!! Que em 2009 possamos juntas trilhar mais e mais caminhos rodeados de amor e alegrias! Beijos mil!

Luciana Santos Silva disse...

Fico feliz que tenha reencontrado a poesia em sua vida!
Ela sempre esteve em seu coração. Agora, só veio à tona.
Feliz 2009. Da amiga! Lu

Robson disse...

Andréa
cada palavra de seu texto corresponde ao que estou sentindo nesse final de ano, que vai além de clichês, como vc bem descreveu... Concordo sim é atitude de amor próprio e é muito bom saber que a gente se ama!
Levanto minha taça e brindo contigo minha querida!
Saúde e viva a gente!!!
BJ